Trilha das 4 Praias

Shangri La

07 novembro 2019

Nenhum comentário

Saindo da cidade para o sul, sentido Ilhéus, no km 16 se chega no começo de uma das melhores aventuras de trilha e praias que Itacaré tem. Com certeza, se Jorge Amado tivesse feito essa caminhada, teria um livro especial só para essa beleza. E aqui, na Costa do Cacau, no litoral sul da Bahia, sem capitães na areia, mas com Dona Flor, Gabriela e todos os santos e orixás abençoando, é que as maravilhas acontecem.

No acostamento da estrada tem estacionamento e até ponto de ónibus para quem quiser chegar nas praias. São quatro, e todas conectadas entre elas: Engenhoca, Hawaizinho, Gamboa e Itacarezinho -na ordem, descendo desde Itacaré-.

Na trilha, mata atlântica selvagem e linda, “mais que demais”, falaria outro baiano de belas artes. Nos primeiros cem metros já se ouve o barulho do suave cantar de Oxum no rio Burundanga descendo pelas ladeiras do mato, e uma cachoeira que geralmente os surfistas usam para tomar banho antes de voltar na estrada precede uma jaqueira gigante abraçada por um fícus de incontáveis braços: os galhos formam bancos aéreos e figuras geométricas na árvore. Uma viagem na miscigenação natural do mato.

Mas essa mistura não é a única, tem uma não precisamente natural que deixa no local um aspecto futurista: o primeiro resort de seis estrelas da América Latina, que nunca foi concluído. Assim é que vão passando estruturas de ferro que iam ser pontes entre bangalôs e cabanas de primeiro nível, que aos poucos foram sendo novamente invadido pela natureza deixando uma paisagem surreal digna de filme: poderiam ser locais de filmagem do Parque Jurássico anos depois de abandonados. E logo após uma dessas pontes hoje cheia de grafites aparece a Engenhoca.

Com o rio Burundanga acariciando os pés no acesso à praia, as famosas areias pretas dessa região dão um charme diferente na paisagem, e a suavidade do andar faz um barulhinho na fina areia como se estivesse chutando as plantas do pé num chão de madeira recém polido. As ondas quebram de todas as formas, por isso essa praia é uma das preferidas das escolas de surf para dar aulas: ondas pequenas, ondas maiores, ondas sinistras, espuma para os principiantes, espaço de areia maior do que nas praias urbanas, e um canal no canto esquerdo do mar para entrar lá no fundo sem problema nenhum. Por trás das águas, uma falésia que no topo tem os restos do projeto hoteleiro, visíveis desde o mar, sendo entrecortada pelo rio no canto direito da praia. E é por esse cantinho direito que acha uma trilha subindo pelo morro que leva à segunda das quatro praias: Hawaizinho.

 

Pequena, acolhedora, misteriosa, talvez um dos cantinhos mais mágicos que Itacaré tem, a praia de Hawaizinho é realmente única na Bahia. E a trilha para chegar desde a Engenhoca é sempre com a visual fixa no oceano que banha com a sua fúria os recortes dos morros no litoral. Tem bastantes opções de comidinhas nas barraquinhas das duas praias, mas se bem a Engenhoca tem um perfil mais esportivo, Hawaizinho realmente tem um clima de paz que convida a sentar e desfrutar de uma calma e, por que não, algum drink ou cerveja. No seu formato, essa praia se mostra como pequena por ser estreita, mas com a maré seca tem bastante metros à mais até o mar, e se formam outros espaços para aproveitar e explorar junto das pedras que com a maré crescendo ficam submergidas.

 

Gamboa, a terceira praia, é isolada, e não tem estrutura nenhuma, a diferença das anteriores e da seguinte. Na maré baixa, é boa para mergulhar, e o contexto é de ilha deserta. Se quiser se sentir o náufrago, é na Gamboa que você precisa passar um tempinho -ou um tempão- tentando abrir um coco seco sem facão.

A trilha continua da terceira para a última praia desse passeio, e entre árvores e a densidade da mata que faz de cenário para essa aventura, aparece uma praia longa, esteticamente perfeita nos olhos do caminhante que, longe do esgotamento, chega com a energia renovada em uma das praias mais bonitas do mundo. Com estrutura de restaurante, mas sem barracas de praia como nas primeiras duas, Itacarezinho oferece a possibilidade de dar uma caminhada e descobrir paisagens diferentes a cada passo, o morro de Serra Grande lá no fundo da miragem, e um paredão de vegetação com uma bica de água para se lavar com água doce fresca depois de entrar naquele mar extenso que cura todo mal. Sem dúvidas, a trilha das 4 praias é um dos passeios mais impressionantes para fazer na região, com opções certas para todas as preferências; e com certeza, seja qual seja a sua disposição e a sua escolha,

Itacaré faz bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *